16 de setembro de 2019 0 Comments Colunistas, LifeStyle, Sem categoria

BRASILIDADE REFINADA

Belo Horizonte e Salvador recebem duas joias

arquitetônicas com assinatura Fasano.

Os novos hotéis do grupo equilibram tradição

e modernidade enquanto exaltam as raizes nacionais

 

TEXTO SYLVAIN JUSTUM

 

Grife maior da hotelaria nacional, o grupo Fasano expande seus domínios e inaugura mais dois endereços bem especiais. Agora são sete hotéis espalhados pelo Brasil e Uruguai. O bairro de Lourdes, na capital de Minas Gerais, recebe o Hotel Fasano Belo Horizonte, que alia uma elegante rusticidade a referências a tradições mineiras como o cobre das panelas de doce e o terracota dos vasos de barro, tom que predomina na cartela de cores do novo projeto. Os hóspedes têm à disposição 77 suítes, fitness center, spa, sauna e piscina. O interior do hotel faz referência ao passado colonial do estado, mas sem cair na armadilha da literalidade, afinal a releitura leva a assinatura refinada do grupo. Teares, madeira rústica, pátina, tijolos aparentes e pedra sabão ganham a companhia do mobiliário assinado por designers brasileiros de diferentes épocas. Um charme só. Para chegar ao restaurante Gero ou ao premiado bar Baretto, hóspedes e público em geral atravessam a charmosa entrada com luz natural, ladeada por um muro vazado de tijolos de barro. Motivos para uma orgia gastronômica não faltam no cardápio, mas vá nem que seja para degustar a carta especial de cachaças, exclusividade do endereço mineiro.

Já em Salvador o clima é Art Déco. O sétimo empreendimento do grupo ocupa o icônico endereço que serviu de sede para o jornal A Tarde durante 45 anos. Tombado como Bem da Bahia, o prédio fica na Praça Castro Alves, no centro histórico. Logo de cara, um tremendo cartão de visitas: o lobby traz a estética preservada do edifício com suas paredes e piso de mármore e granito. O mix com madeira escura que remete ao Jacarandá é suntuoso. Dois lustres antigos encaixam perfeitamente no contexto e a leveza das texturas regionais, como as do linho e das rendas, equilibram e arrematam o quadro. A estética dos anos 1930 foi respeitada pelo arquiteto Isay Weinfeld também no restaurante Fasano, com seus 250 metros quadrados e imponente pé direito de quase cinco metros. Quando estiver sentado à frente de um dos carros-chefe da culinária italiana – como o spaghetti alla carbonara ou o ossobuco de vitela – tire um tempo para admirar o teto totalmente restaurado do local. Na hora de escolher um quarto, tente reservar o106. Ali funcionava a sala da presidência do jornal A Tarde. O Fasano conservou o piso de taco e os painéis de jacarandá originais, além de restaurar os adornos de gesso e as portas. E não deixe de subir ao rooftop para curtir bar e piscina, mas, sobretudo, para apreciar a embasbacante vista da Baía de Todos os Santos. Fotos de cinema garantidas.

 


Share: