16 de dezembro de 2019 0 Comments Brand Experience, Colunistas, LifeStyle

Arthur Casas: Arquitetura, lençóis e camisas


Inquieto, o arquiteto multiplica projetos em diferentes plataformas enquanto preza por conforto, minimalismo e sustentabilidade   Por Sylvain Justum

O paulista Arthur Casas é um dos maiores nomes da arquitetura contemporânea no Brasil e no exterior. Seus projetos de linhas puras atualizam o modernismo, com foco em conforto e responsabilidade ambiental, com resultado cosmopolita, mas com DNA bem brasileiro. Casas tem escritórios em São Paulo e Nova York e obras espalhadas pelo Brasil e por capitais como Paris e Tóquio. Além da concepção de construções e ambientes, o arquiteto exercita seu talento em outros territórios. Roupas de cama, relógios e móveis são suas últimas investidas e ele não descarta assumir um projeto de moda muito em breve. O olhar global faz com que Arthur Casas enxergue arquitetura em tudo. “Para todo lugar que eu olho, toda linha que eu vejo, todo jogo de sombra e luz me remete à arquitetura. Isso muda a forma com que olho para o mundo”, explica.

Atento ao aspecto sustentável em seu trabalho há muitos anos, Casas elege a tecnologia como aliada na missão de construir sem destruir. “Os painéis fotovoltaicos, por exemplo, eram muito caros. Hoje em dia, mais baratos, eles são quase uma obrigação nos meus projetos”.  Outra sacada recente é uma casa pré-moldada, que pode ser reconstruída e reaproveitada de acordo com a vontade do cliente. O foco está mais na forma e no processo de construção do que no resultado. “Mas o que mais me preocupa em toda a questão sustentável é o lixo. Pensando nisso, estamos projetando uma casa que consome zero água no processo e gera zero lixo”, antecipa. Avesso a tendências, Casas prefere manter-se fiel a uma identidade construída ao longo de mais de 30 anos de estrada, “uma oitava acima ou abaixo” a cada projeto, sempre ampliando o seu repertório. “Detesto a palavra tendência, não acredito nela, seja na arquitetura, no design e até mesmo na moda. As pessoas continuam se vestindo de preto e azul-marinho há décadas!”

Entre cadeiras, relógios e lençóis, seus planos paralelos namoram a moda de forma muito particular. Adepto do minimalismo e da praticidade acima de tudo na hora de se vestir, Casas elege seus clássicos atemporais em função dessas características. Sneakers, calças de alfaiataria high-tech, dessas que pegam emprestado elementos esportivos como elásticos na cintura, e camisas que amassem pouco, que cheguem impecáveis ao fim dos dias intensos do arquiteto, são fundamentais. Ele é fã de tecidos tecnológicos, que unem conforto e design atemporal. “Adoro camisas! Mas é um saco ter de passá-las no hotel a cada vez que eu viajo”, desabafa. O caimento e a modelagem também são importantes. “À medida que envelhecemos, nosso corpo muda e é cada vez mais difícil encontrar a camisa certa na grade das grandes marcas”. Fã de peças feitas sob medida por essa razão, o arquiteto se anima e confessa: “é maravilhoso poder vestir uma camisa feita especialmente para o seu corpo”. Fica a dica para uma próxima investida além da arquitetura.


Share: